Seguidores

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz 2013

Que nesse ano possamos sonhar,
E acreditar, de coração, que podemos realizar cada um de nossos sonhos,
Que esses sonhos possam ser compartilhados pelo bem,
E que eles tenham força de transformar velhos inimigos em novos amigos verdadeiros,
Que nesse ano possamos abraçar,
E repartir calor e carinho,
Que isso não seja um ato de um momento,
Mas a história de uma vida.
Que nesse ano possamos beijar,
E com os olhos fechados, tocar o sabor da alma,
Que tenhamos tempo para sentir toda a beleza da vida,
E que saibamos senti-la em cada coisa simples,
Que nesse ano possamos sorrir,
E contagiar a todos com uma alegria verdadeira,
Que não sejam necessárias grandes justificativas para nosso sorriso,
Apenas a brisa do viver,
Que nesse ano possamos cantar,
E dizer coisas da vida,
Que não sejam apenas músicas e letras,
Mas que sejam canções e sentimentos,
Que nesse ano possamos agradecer,
E expressar a Deus e a todos: “Muito Obrigado!”,
Que nesse “todos” não sejam incluídos apenas os amigos,
Mas também aqueles que, nos colocando dificuldades, nos deram oportunidades de sermos melhores.
E assim começamos mais um Ano Novo,
Um dia que nasce, um primeiro passo, um longo caminho,
Um desafio, uma oportunidade e um pensamento:
“Que nesse ano sejamos, Todos, Muito Felizes!”
Desejo a todos um feliz ano novo com muita saúde, paz, felicidades, e que seus sonhos se realize neste novo ano e que possa correr muitos quilômetros!!!
Um forte abraço do vivendo a vida correndo !!!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal



O Vivendo a Vida Correndo deseja a todos um Feliz Natal com muita saúde, paz, felicidade e que seus sonhos se realize neste Natal em família e muitos quilômetros de corrida.

Continue Vivendo a Vida Correndo!!!!

Um forte abraço em todos!!!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Se o mundo fosse acabar realmente hoje, o que fosse faria ?


A chance do mundo acabar hoje são muito remotas, mas se o mundo realmente fosse acabar hoje o que você faria?












Deixe um comentário no blog e vote na enquete?


segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Análise do novo percurso da São Silvestre 2012


Treinador analisa percurso da São Silvestre 2012

Depois de muitos protestos e reclamações na edição passada, a 88ª Corrida de São Silvestre volta a ter a chegada na Paulista, e apresenta algumas mudanças em seu percurso, além do horário, que pela primeira vez passou para a parte da manhã. Madrugamos em um domingo, fizemos o percurso com o pessoal do jornal Folha de São Paulo e abaixo segue um resumo dos principais pontos da prova, além de algumas dicas importantes que poderão colaborar com seu desempenho.






Largada: Tradicionalmente em frente ao monumental MASP (Museu de Artes de São Paulo), este ano o site da organização divulga que a largada será nas proximidades da Alameda Ministro Azevedo, alguns metros à frente. Como a largada não será ampliada para duas vias e nem será dada em ondas, com a maior quantidade de inscritos - a organização espera cerca de 25.000 - ficará ainda mais difícil correr, caso você não largue nos pelotões de elite.

Se chegar cedo para pegar um bom lugar ficará ali espremido por muito tempo e certamente terá sua prova comprometida. O negócio é sair lá atrás, relaxar e correr mais para curtir a prova, sem muita preocupação de tempo. Caso saia nos pelotões de elite, recomendamos que aqueça bem e treine para sair forte, pois a multidão sai desenfreada e poderá te atropelar. Pelos mesmos motivos, procure largar mais pelas laterais e não pelo meio, onde mais gente fica concentrada.

Primeiro km: Após 500 metros de reta, o corredor já encontrará o Túnel José Roberto Fanganiello Melhem, com leve descida - a 1.a do percurso - e em seguida leve subida. Até ali a massa estará caminhando ou trotando muito leve, dado a grande quantidade de participantes. Não se preocupe com o tempo nesse momento da prova, pois realmente, nessas condições, será muito difícil correr. Já os corredores de elite e mais experientes poderão até acelerar e ganhar alguns preciosos segundos, sabendo que em seguida haverá descidas longas e a possibilidade de recuperar o fôlego.

Segunda descida: Seguindo a Av. Dr. Arnaldo, com cerca de 1.100 metros de prova, em frente ao Hospital Emílio Ribas, haverá uma curva à direita e a grande e íngreme descida da Rua Major Natanael. É sem dúvida um dos pontos mais arriscados e polêmicos da prova, onde o ritmo deverá ser muito controlado e consciente.

É possível que o fluxo da massa já esteja melhor, mas ainda não valerá a pena querer correr forte e tentar recuperar o tempo perdido, pois o corredor poderá se machucar e ou comprometer o restante da prova. Procure inclinar um pouco o tronco para trás e amortecer mais com os calcanhares, poupando bem seus joelhos e evitando queda para frente. Caso esteja chovendo o cuidado deverá ser dobrado.

Terceira descida: Passada a Major Natanael, esse ano o percurso irá pelo lado direito do famoso Estádio do Pacaembu e o corredor encontrará mais uma descida bem íngreme pelo caminho. A técnica e a preocupação deve ser a mesma. Nada de tentar correr forte, pois a prova ainda estará no começo.

Imagino que a maioria dos atletas de elite passará em ritmo forte, mas mesmo estando bem preparados, alguns também poderão pagar o preço mais para frente, pois o ditado “ para baixo todo santo ajuda” é um grande engano.

Encontrando seu ritmo: Finalmente passamos o estádio e seguimos no sentido centro da cidade, com leve inclinação da Pacaembu. Com três quilômetros de prova e melhor fluxo, já dará para ter uma noção de como realmente estará seu corpo no dia. Momento de finalmente começar a correr em seu ritmo.

Mudanças: Seguindo a Pacaembu por cerca de mais dois quilômetros, haverá uma entrada à direita, na Rua Margarida, em seguida a Alameda Olga, onde há uma segunda subida acentuada de aproximadamente 300 metros. Esta será uma das mudanças do percurso, seguindo por mais quatro ruas e avenidas novas: Tagipuru, Fuad Naufel (quinta descida), Auro Soares e Mario de Andrade para passar em frente ao Memorial da América Latina. Ao atravessar a Pacaembu, seguir uns 200 metros em frente e retornar novamente a Pacaembu, estando com cerca de seis quilômetros de prova.

Terceira subida e sexta descida: Viaduto Pacaembú com subida curta, mas considerável e a céu aberto e logo em seguida descida na altura de 6.200 metros de prova. Dá para tentar subir mais rápido e em seguida recuperar o fôlego na descida. Seguindo então pelas avenidas Dr. Abraão Ribeiro, Marquês de São Vicente e Rua Norma Pieruccini Giannotti, que são planas, porém totalmente desprovidas de sombra.

Quarta subida e ponto bem crítico: Viaduto Eng. Orlando Murgel - Muito se falou da subida da Brigadeiro, mas acreditamos que este seja um dos pontos mais difíceis da prova. Ele começa bem no quilômetro oito, com uma elevada subida e sem qualquer tipo de sombra, salvo se o tempo estiver nublado.

Em algumas edições, os vencedores da prova começaram destacar-se dos demais por ali. É um ponto onde o corredor deve agora inclinar o tronco mais à frente, pisar mais com a parte anterior dos pés, movimentar mais os braços e procurar não olhar muito para frente, para não se assustar com a inclinação.

Para muita gente a corrida é comprometida ou até mesmo termina por ali. Passada a subida vem uma descida leve (sétima), e em seguida uma leve subida, que seria a quinta da prova, para depois entrar na Av. Rio Branco, ponto também longo e plano.

Mais novidades no percurso: Av. Duque de Caxias, pista da direita (no contra fluxo), como ocorria nas edições anteriores à de 2011; a Av. São João, em um trecho inédito, e o Largo do Arouche, completando dez quilômetros ou dois terços da prova.

Av. Vieira de Carvalho, sentido Bairro, Praça da Republica, contornada pelo lado de trás, Av. Ipiranga (no contra fluxo) e novamente a Av. São João ( também no contra fluxo) passando pelos pontos antigos do Largo do Paysandu, Rua Conselheiro Crispiniano(sexta subida), Praça Ramos de Azevedo, o tão belo Teatro Municipal, Viaduto do Chá e Rua Líbero Badaró.

Mais subida na prova: Com cerca de 12,5 quilômetros de prova passa-se pelo Largo São Francisco, ponto onde há também uma íngreme subida, que será a sétima do percurso e última antes da temida Brigadeiro. Vale fazer um pouco mais de esforço para subi-la, pois bem em seguida haverá um trecho plano e uma leve descida (oitava), onde o corredor poderá se recuperar, organizar suas forças e concentrar para finalmente começar a subir a Brigadeiro Luis Antônio.

Av. Brig. Luís Antônio, oitava e última subida: Praticamente dois quilômetros de subida, porém com bastante sombra e muita gente incentivando no percurso. Aqueles que costumam treinar subidas, dê preferência no final dos treinos, e que se pouparem mais durante a prova, provavelmente tirarão de letra. 

Mais uma vez vale inclinar o tronco a frente, pisar mais com a parte da frente dos pés, movimentar mais os braços, não olhar muito para cima, concentrar-se ao máximo ou receber o maravilhoso carinho e incentivo das pessoas. Ela é sim muito dura, principalmente no quilômetro 14, bem embaixo ao Viaduto 13 de Maio. Mas a garra, a determinação, as muitas sombras e o incentivo da população serão grandes aliados.

Chegada: Finalmente termina a subida aos 14.500 metros. Dali já será possível avistar a tão esperada curva da Avenida Paulista. Entra-se à direita como nos bons tempos (eu acreditava que a organização iria ceder à pressão) e corre-se os últimos 500 metros, passando triunfante em frente às arquibancadas, recebendo o imenso carinho da população para completar os 15 quilômetros, cruzar a tão almejada faixa de largada e comemorar muito!




Texto escrito pelo Treinador Nelson Evêncio e retira do site www.webrun.com.br

http://webrun.uol.com.br/corridasderua/n/percurso-da-sao-silvestre-2012/14319

domingo, 11 de novembro de 2012

Circuito Athenas Etapa III São Paulo


Neste domingo, dia 4 de Novembro, em uma manhã fria, ocorreu a terceira etapa do Circuito Athenas em São Paulo. Com aproximadamente 4 mil corredores, a última etapa da corrida no ano teve a sua largada às 7 horas na Avenida das Nações Unidas, na altura do Hotel Transamérica.

Com provas de 4 km, 10 km e 21km.
Fotos Iguana Sports 

Veja a lista dos ganhadores:

Masculino — 21 km


1) Jose Rodrigues Dos Santos – 1h08’01”
2) Fabio Nascimento – 1h08’16”
3) Sebastião Rodrigues Viana – 1h09’48”
4) Jose Luiz Da Silva – 1h10’36”
5) Cesar Augusto Martins – 1h11’14”

Feminino — 21 km

1) Beatriz G .S  Nascimento – 1h21’56”
2) Rozirene Ferreira da Silva – 1h24’07”
3) Jucimara Felix dos Santos – 1h26’27”
4) Josefa Maria da Silva – 1h31’21”
5) Vivian de Oliveira – 1h31’33”

Masculino — 10 km

1) Luiz Ferreira de Mesquita – 32’05”
2) Antonio Isaias Ferreira de Mesquita – 32’54”
3) Claudio Roberto Macedo – 33’00”
4) Samuel Ribeiro – 33’10”
5) Antonio Soares Filho – 33’37”

Feminino — 10 km 

1) Eva Rocha Duarte – 41’41”

2) Salileia Maria da Silva – 41’43”
3) Josilene de Jesus B. Domingos – 42’54”
4) Nilza de Oliveira Santos Almeida – 43’53”
5) Cilene Sophya Santos – 44’52”

Masculino — 4 km

1) Tiago Vieira Silva – 12’25”

2) Oseias dos Santos – 12’31”
3) Jose Ferreira de Mesquita Neto – 13’25”
4) Eladio da Paz Oliveira Junior – 13’27”
5) Ademir Paulino – 13’41”

Feminino — 4 km

1) Andréia Aparecida Hessel – 14’30”

2) Maria Cristina Rodrigues – 15’27”
3) Olivia de Fatima Franco Fernandes – 16’07”
4) Thainá Grandinetti Gouvêa – 17’37”
5) Nathalia Barbosa de Jesus – 18’00”


A prova

Foi a minha primeira participação nesta prova, ganhei a inscrição da Letícia  Miyasaka da Iguana Sports, agradeço mais uma vez.
Acordei bem mais cedo do que o de costume, assim consegui aproveitar mais o dia também. 

A manhã esta bem fria com a temperatura em torno de 20º graus, para mim a melhor para correr.
No começo, como de costume a largada foi bem congestionada, mas depois dos 5 km ficou com o trafego livre, pois os corredores dos 21 km seguiam em frente em sentido a ponte estraiada e os dos 10 km voltava para a linha da largada.


O percurso era plano e meu objetivo era melhorar o tempo deste anos nos 10 km e fazer a prova abaixo de 46 minutos.



Vídeo da chegada



Nos últimos quilômetros consegui acelerar e manter o ritmo  e terminei a minha prova em 45 minutos e 18 segundos. Meu melhor tempo no ano.

Gostei muito da estrutura da prova, do kit pré e pós corrida, faço apenas uma ressalva com relação a retirada do kit que poderia ser feito no mesmo dia da prova.

Kit
Camiseta Masculina

Camiseta Feminina


Medalha



Avaliação


Hidratação: Bem distribuídos.(Bom)

Local da Prova: Diferente dos tradicionais e boa estrutura. (Bom)
Percurso: Gostei muito. (Bom)

Camiseta: Roxa, muito bonita e ótimo material, gostei. (Bom)

Medalha: Achei a medalha razoável.(Regular)

Kit Pós Prova:  Maça, banana, cookies, isotônico. (Bom)

Kit pré Prova: A opção de ser retirado no dia da prova, seria uma boa.(Bom)

Estacionamento: Fiquei muito tempo procurando para achar uma vaga.(Regular)

Guarda Volume: Não utilizei.

Vestiários: Não utilizei.

Sanitários: .( Bom)

O evento contou com stand da Netshoes, da Skol de massagem entre outros.

Divulgação do Resultado: Rápido.


Outras fotos

Fotos Iguana Sports


Fotos Iguana Sports


Fotos Iguana Sports


Para saber mais sobre o mundo das corridas, acesse a Revista The Finisher.


9° Aricanduva, como foi

Na Zona Leste de São Paulo, do dia 30 de Outubro, aconteceu a 9° Corrida Aricanduva, com percurso de 9 km, teve a sua largada às 08: 00 com os batedores da Polícia do Exército, o corrida aconteceu na Avenida Aricanduva e seus arredores.

Ao final tivemos a vitória do Keniano, Kimosop Kiprono com 0:26:35.67 no masculino e de Felismina Tchihanda Cavel, de Angola no feminino com o tempo de 0:32:41.06.


Como tradicionalmente acontece a corrida contou com a participação da banda do 2º BPE (Batalhão de Policia do Exército) que abrilhantou a festa.

 




Vencedores


RESULTADO GERAL - FEMININO
Col.NomeEquipeOficialRitmo
1Felismina Tcihanda CavelaEngefood/Sanity00:32:41.06
2Beatriz Galdino dos Santos NascimentoCasal Nascimento00:33:28.97
3Maria Aparecida FerrazLuasa Sports00:33:41.58
4Maria Lucia Alves Vieira MoraesMel/Isis/Gu/Energil/Itatiba00:34:01.04
5Rozirene Ferreira de MoraesValdir Camargo00:34:18.69



RESULTADO GERAL - MASCULINO
Col.NomeEquipeOficialRitmo
1Kimosop KipronoKenia/Luasa Sports00:26:35.67
2Rogério FerreiraCruzeiro Esporte Clube BH00:2714.04
3José Rodrigues da FonsecaGranoleves Nutrilevis Bross00:27:20.42
4Ederson Vilela PereiraBM&F Bovespa/Pão de Açúcar Nike00:27:30.79
5Edson Tiburcio AlvesCruzeiro Esporte Clube BH00:27:44.89




Altimetria

A prova contará com um percurso de 9km praticamente plano. Confira a altimetria:




Percurso




Medalha



Camiseta



A minha corrida

Meu objetivo era somente completar a prova , esperava fazer um tempo mais alto do que o convencional, como não conheço tão bem a região, fui confiando no meu GPS e acabei fazendo um percurso mais longo do que esperava e com isto cheguei mais tarde do que esperava e larguei com três minutos depois.

Fiz uma corrida de recuperação, me empolguei e acelerei, fiz uma boa prova com um ritmo bom, quando chegou na subida para entrar no shopping, desacelerei, senti a falta de treino e terminei a prova em 43:06.

Agora recuperado das lesões , estou começando a preparar para as minhas provas já pensando na Corrida de São Silvestre no final do ano.


Avaliação

Hidratação: Bem distribuídos.(Bom)

Local da Prova: Diferente dos tradicionais e boa estrutura. (Bom)
Percurso: Gostei muito, com poucos aclives e declives. (Bom)

Camiseta: Branca, gostei. (Bom)

Medalha: Achei a medalha razoável.(Regular)

Kit Pós Prova:  Maça, banana, barra de cereal e isotônico. (Regular)

Kit pré Prova: A opção de ser retirado no dia da prova, é uma boa.(Bom)

Estacionamento: Fiquei muito tempo procurando para achar uma vaga.(Regular)

Guarda Volume: Não utilizei.

Vestiários: Não utilizei.

Sanitários: .( Bom)

Divulgação do Resultado: Rápido.



Resultados da prova 9 km

Informações e algumas fotos retiradas do site : www.corpore.org.br






Descobrimento das Corridas de Rua?


Agora todos estão descobrindo a corrida, parecer ser uma coisa nova, esta virando modismo, novidade, principalmente com o novo projeto da Globo com o site www.euatleta.com. , no qual a pessoa escolhe um trajeto para treinar, e monitora os seus treinos. 

Para mim a corrida era uma paixão desde cedo, quando assitia a corrida de São Silvestre, ainda na década de 80 e 90, logo saia correndo e vivia na expectativa de quando faria a minha primeira prova.

Vídeo sobre eu atleta.com 


Naquela época, não tínhamos tanto acesso as informações como hoje, não conhecia equipes de treinamento.
Em 1994 com os meus quatorze anos, comecei a realizar parte deste sonho de correr e correr a Corrida Internacional de São Silvestre, participei da 1º São Silvestrinha.




Sempre fiz vários esporte e em 95 passei em uma peneira de basquetebol  SELT, conjunto desportivo Constâncio Vaz Guimarães e via as pessoas treinando na pista de atletismo, então passei a fazer atletismo também. Meses depois passei em uma peneira para correr na Faculdade de Educação Física da USP, Projeto Xerox, projeto coordenador pelo ex- corredor e treinador do Marilson, o Adauto domingues. Comecei correndo como velocista, cada dia passava por uma modalidade diferente, quando pedi para ir para aquela que considerava minha especialidade, as corrida de meio fundo e mundo, mas me machuquei e por motivo pessoais precisei sair do projeto.

Em 1996 realizei o meu sonho e fiz a minha primeira corrida de São Silvestre com os meus dezesseis anos fiz um dos meus melhores tempos e terminei os 15 km em 1 hora e 15 minutos,com dezesseis anos era a idade minima para participar da corrida, naquela época, em o evento ainda era organizado pela Gazeta e você perdia certa de meio dia para retirar o kit.
Com o trabalho e a faculdade voltei a correr em 2000 e fiz a 2º prova a em 1 hora e 21 minutos e 2002 a 3º em 1 hora e 32 min, já muito acima do peso.
Depois do casamento e uma rotina de trabalho estressante comendo muita pizza e bebendo 1 litro de refrigerante por dia, em 2007 cheguei a pesa 103 kg.
Neste período sempre tentei voltar mas o excesso de peso a falta de tempo atrapalhava. Em 2008 tentei novamente, mas senti dores no joelhos devido ao local em que treinava e excesso de peso.
Em 2009 comecei a correr e participei da primeira prova depois de anos sem correr, participei da Corrida GRAAC em Maio e fiz os 4,3 km em 21 minutos. Neste ano cheguei a pesar 92 kg, perdendo 11 kg e melhorando bastante a qualidade de vida.


Corrida GRAAC 2009


Circuito Athenas Etapa III Novembro de 2012


Voltei a participar da corrida SS e fiz 4º em 1 hora e 16 minutos, a 5º em 20120 em 1 hora e 15 minutos, a minha melhor prova, controlando bem o ritmo e subindo a brigadeiro bem, igualando a minha primeira prova de 1996, naquela era mais rápido e também afobado, sem experiencia, sai correndo como um louco e senti o ritmo no 9 km, depois alternava entre correr e andar.



Corrida SS de 2010


Em 2011 fiz a 6º corrida e 3º seguida, corri machucado e sem treinar há um mês, fui no sacrifício e fiz em 1 hora e 25 minutos.
Como ver, faz tempo que descobri a corrida, fico muito feliz que as pessoas estão descobrindo também, faço apologia a corrida e tento sempre levar alguém para a corrida também. 
Não importa que tido de atividade a pessoa prática, o importante e sair do sedentarismo e fazer atividade física na qual você se identifica mais.

Este blog foi criado para promover a corrida e atividades físicas e compartilhar experiências e relatos interessantes.

Os principais Benefícios da Corrida 
Os benefícios da corrida são ao mesmo tempo físicos e mentais. Correr é muito mais que colocar um pé a frente do outro, veja alguns dos maravilhosos efeitos desse exercício!

1- Não exige um mega equipamento: um par de tênis, short e camiseta. No caso das mulheres, um sutiã firme e cabelos presos.

2- Deixa as pernas torneadas e fortes: a musculatura dessa região é bem solicitada durante a corrida. Resultado: coxas firmes e panturrilhas trabalhadas!

3- Garante disposição para o dia-a-dia: a corrida funciona como um despertador ao estimular a produção de endorfina, neurotransmissor que dá a sensação de bem-estar.

4- Dá para praticar em qualquer lugar: você pode correr na esteira, em qualquer parque ou até mesmo na rua, podendo aproveitar suas viagens de fim de semana e férias.

5- Aumenta o fôlego: por ser um exercício aeróbio, trabalha muito com o coração e os pulmões. Quando você mexe o corpo, todo o organismo, especialmente os músculos, pede por oxigênio, que é catalisador e transforma a glicose em energia. Aí, os pulmões são obrigados a trabalhar mais rápido para garantir suprimento dessa substância e a expulsão do gás carbônico (o resultado tóxico da reação). Quem corre, habitua os pulmões a essa sobregarga para o dia a dia.

6- Faz perder peso: a corrida está no topo da lista dos exercícios que mais queimam calorias.  O valor exato, é claro, varia de acordo com o peso, a altura, a idade, o sexo e o passo de cada um.  Mas a média é de 500 calorias por hora (para uma pessoa de 70 kg).  Sem falar que, ao contrário do que se pensa, correr faz você comer menos - e melhor!  Um estudo acompanhou 10 mil pessoas durante sete anos e comprovou que a atividade regular incentiva a diminuição de açúcares, gorduras e frituras e o aumento de alimentos saudáveis.

7- Previne doenças: existem muitos jornais médicos a respeito das vantagens de praticar um esporte regularmente. A corrida, mais uma vez, sai à frente, porque é uma das modalidades de maior aderência entre os praticantes. Há benefícios comprovados em relação à osteoporose, ao risco de doenças cardíacas, câncer de ovário ou de mama, distúrbios do sono e até mesmo a respeito do controle de disfunção erétil.  Quem corre, mantém o organismo ativo e não deixa que uma série de mecanismos metabólicos enferrugem.  O corpo fica resistente aos ataques de agentes causadores de doenças, sejam eles internos ou externos.

8- Melhora, e muito, a auto-estima: correr é uma atividade relativamente fácil e que não requer um tipo físico ideal.  Sem falar, que os resultados aparecem de uma forma rápida. Aumenta a autoconfiança e a disciplina.  Saber que você é capaz de ir se superando a cada dia é o máximo!

9- Libera o estresse: conforme vai aumentando seu nível de treino e o tempo de corrida confortável (após 30 minutos) vai aumentando também a liberação de algumas substâncias que dão os efeitos de bem estar e relaxamento.

10- Exercita a cabeça:  para alguns corredores, o momento da prática é aquele em que as grandes idéias surgem.  Pode parecer bobagem, mas esse fato tem tudo a ver com o exercício!  Uma pesquisa recente indicou que a corrida regular gera uma melhora significativa da memória e de outras habilidades mentais, conhecidas como funções cognitivas. Isso, no entanto, regride quando a modalidade é abandonada.  Um outro estudo concluiu que um programa de corrida de 12 semanas é capaz de melhorar a memória dos participantes.

11- Amplia o círculo de amizades: tem gente que adora a corrida porque não precisa de time e nem de ninguém por perto.  Mas há corredores que abominam o exercício solitário e tendem a formar grupos, em que um incentiva o outro a acordar cedo, a enfrentar um terreno desafiador, a percorrer mais um quilômetro!


Não fique ai parado, comece logo a fazer uma atividade física agora e sai do sedentarismo.




Benefícios da corrida retirado do site: http://www.exercitandosaude.com.br/index.php?conteudo=select_peroque2&id=63

sábado, 27 de outubro de 2012

Por que dói? Joelho de corredor


A dor anterior do joelho é tão falada entre os praticantes de corrida que virou “joelho de corredor”

Imagem: Erika Onodera


A síndrome da dor ou desordem fêmoro-patelar acomete tanto os corredores que o diagnóstico das também conhecidas como condromalácia patelar, instabilidade patelofemoral ou tendinite patelar ganharam o apelido de “joelho de corredor”. Trata-se de dores nos joelhos, resultado de degeneração da cartilagem atrás da patela (ou rótula), em contato com o fêmur (osso da coxa). O apelido só não faz justiça porque a incidência também é grande entre jogadores de futebol, tenistas e ciclistas.
A dor, em pressão ou agulhadas, nasce no início da corrida — e também ao escalar, agachar, enfrentar escadas ou simplesmente permanecer sentado por cerca de 30 minutos (no cinema, por exemplo). A partir daí ela pode ser entendida como estágio inicial de um problema patelofemoral, depois que uma sobrecarga na atividade física, com extensão e flexão dos joelhos (musculação com aparelhos, step, agachamentos etc.), causou reações infamatórias e danos estruturais às articulações dos joelhos — um trauma crônico por fricção entre a cartilagem que protege a patela e os sulcos no fêmur (côndilos).
A condromalácia (condro: cartilagem e malácia: doença) significa exatamente o amolecimento dessa proteção na patela, o que aumenta a compressão entre esses ossos durante o movimento, causando irritação e dor.
Isso acontece porque o joelho já foi exposto a exageros nas corridas ou em outras atividades que provocaram microtraumas por repetição. Ou porque, já fora de seu movimento normal (em instabilidade ou lateralização), o conjunto articular sofre com o desequilíbrio de forças entre os músculos laterais e mediais da coxa, e também por causa do chamado joelho para dentro (valgo) — diagnosticado de oito a dez vezes mais em mulheres, por causa do osso do quadril mais largo.
A condromalácia patelar apresenta diferentes estágios, conforme o grau de degeneração da cartilagem: amolecimento, fragmentação ou fissuras, até a erosão ou perda total. Por isso há necessidade de consulta clínica imediata, ainda no início das dores. Se o atleta insistir, as fissuras na cartilagem podem expor os ossos à fricção, aumentar consideravelmente as dores e causar inchaço no joelho afetado. O tratamento cirúrgico é o último recurso, pois causará limitação da atividade esportiva.
Causas
• trauma por fricção crônica de força excessiva aplicada ao joelho
• evolução agressiva dos treinos e insistência em atividades com dor
• joelho valgo, conformação do quadril no sexo feminino, pronação acentuada dos pés, tênis inadequados
• trauma por impacto local ou estágio precoce de artrose
 Sintomas
• dores acentuadas, à frente e ao redor do joelho, ao correr, subir e descer escadas ou agachar
• estalos ou crepitação, audíveis, ao esticar ou flexionar o joelho
• dor ou ardência ao permanecer com o joelho flexionado por cerca de 30 minutos
Tratamento
• interrupção da corrida e repouso
• gelo, anti-inflamatórios, analgésicos e fisioterapia para redução da dor e regeneração dos tecidos
• fortalecer toda a musculatura da coxa, em particular o quadríceps e os internos da coxa (vasto medial e oblíquo)
 Prevenção
• com dor, interromper a corrida e buscar tratamento
• reforçar músculos para equilibrar forças na corrida
• manter fortalecidos a panturrilha, o posterior, a lateral e o quadríceps na coxa
• fazer alongamentos nos dias sem corrida
• evitar manter o joelho flexionado a mais de 90 graus
• manter peso relativo à altura, atenção à corrida em declives e ao uso de tênis corretos e até de salto alto
• observar boas condições de uso dos tênis de corrida e seu tipo de pisada
Retorno à corrida
• após equilibrar a força das pernas compor meio de musculação
• quando não mais sentir dor ao:
dobrar os joelhos ou esticar completamente a perna
caminhar e correr em linha reta, com viradas acentuadas e em “8”
pular com o joelho tratado ou com ambas as pernas

- Fontes dr. Henrique cabrita, ortopedista pela usp (universidade de são paulo), assistente do grupo do quadril do hospital das clínicas USP-SP, médico especialista em medicina esportiva, quadril e artroscopia do instituto vita. Maratonista, já completou cinco provas de 42 km.
(Matéria publicada na Revista O2 nº 114, outubro de 2012)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...